terça-feira, 27 de abril de 2010

O que é que as Mulheres e os Homens andam a fazer no Facebook?

What Men And Women Are Doing On Facebook

Jenna Goudreau

As mulheres usam as ferramentas das redes sociais para estabelecer redes, enquanto que os homens usam-nas para elevar o seu status.

O Facebook é a maior rede social do mundo e é dominada por mulheres.
De acordo com BrianSolis.com e Google, 57% dos 400 milhões de membros do Facebook são mulheres e esta rede social atrai mais 46 milhões de visitantes mulheres e do que visitantes homens por mês. As mulheres são também mais activas.

A COO Sheryl Sandberg refere que as mulheres têm mais 8% amigas/os e participam mais 62% na partilha, concluindo ainda que "o mundo social é liderado pelas mulheres".

Onde é que as mulheres criam redes sociais?
As mulheres são a maioria das/os utilizadoras/es dos maiores sites de redes sociais, incluindo o Twitter, MySpace, Bebo e Flickr, enquanto que os homens são mais activos em sites como Digg, Youtube e LinkedIn, que têm uma orientação mais vocacionada para a promoção do que para a discussão/debate.
Para além de visitarem sites diferentes dos homens, as mulheres usam as redes sociais de forma diferente.

As/os Peritas/os acreditam que a diferença na forma como mulheres e homens operam online espelha as suas motivações offline. Enquanto que as mulheres usam as redes sociais para se relacionarem e partilharem itens das suas vidas pessoais, os homens usam-se como meios para reunir informações e para aumentar o seu status.

Sherry Perlmutter Bowen (Professora de Género e Comunicação na Universidade de Villanova na Pensilvânia) refere que os homens usam as redes sociais para reunir informação e para se tornarem mais influentes; "vejo os homens a espalhar a sua sabedoria e a usar as redes sociais para vender, competir e para ascender".


segunda-feira, 26 de abril de 2010

Connect, a nova bebida da Vitamin Water, criada pelos consumidores.



A Vitamin Water da Coca-cola, contou com o Facebook para criar uma nova bebida. Através de um concurso realizado a partir do aplicativo "Flavor Creator", os consumidores tinham que definir como seria o novo drink. Poderiam escolher o sabor, inventar o design da embalagem e um nome para a nova bebida. A vencedora levou um prémio de 5 mil dólares.

A nova bebida teve um nome bastante sugestivo, Connect, e leva no rótulo a logo do Facebook.



Está aí mais um exemplo de quando o consumidor participa da elaboração do produto.
Fonte

domingo, 25 de abril de 2010

Facebook supera rádio e jornal e por pouco atinge a TV nos Estados Unidos

Uma pesquisa da Nielsen Online mostra que o uso de media social se tornou um hábito regular para três quartos da população online.

Em uma pesquisa com 1.700 usuários de Internet nos Estados Unidos, a Nielsen Online constatou que 73% conectam em media social pelo menos uma vez por semana. O conectar foi definido como ler um blog, visitar uma rede social ou a leitura (e / ou comentar ) em um quadro de mensagens. A pesquisa constatou que a audiência total nas medias sociais nos Estados Unidos é de 127 milhões.

O estudo da Nielsen descobriu que o Facebook está se tornando uma grande atracão para uma ampla faixa da população. Da população on-line, 47% visitam o Facebook diariamente, de acordo com a Nielsen, quase a atingir os 55% que assistem televisão. O uso diário do Facebook supera os outros meios de comunicação tradicionais como o rádio (37%) e jornais (22).

De acordo com levantamento da Nielsen, 32,7 milhões de pessoas jogam diariamente. Isso é igual ao número de leitores de jornal e mais do dobro dos leitores de revistas.

A Nielsen constatou que o Twitter é ainda uma actividade de nicho, ostentava 105 milhões de usuários registados. Segundo a Nielsen, apenas 11,4 milhões (6%) usam diariamente.

A BlogHer e a iVillage encomendaram a pesquisa para determinar o papel das medias sociais na vida das mulheres versus a população em geral. Constatou-se pouca diferença entre os sexos quando se trata da adopção de media social, com as mulheres um pouco mais acostumadas ao Twitter e blogs, enquanto os homens para assistir vídeos.

A leitura de Blogs continua a ser uma actividade de nicho para os usuários online, com 11% de leitores diários.

Fonte

A Internet vem rivalizando as medias tradicionais. Daí a grande importância em entender este fenómeno e rever as regras de comunicação.


sexta-feira, 23 de abril de 2010

"MYWAY,
Customiza a tua música"

Foi realizado em Portugal um acordo histórico e devastador para a música digital, entre a SONY Music e a Myway, possibilitando assim acedermos a mais de 5 milhões de músicas online com possibilidade de download http://msn.myway.pt/msn/#/home/.
A WayMedia http://www.waymedia.pt/ prevê novas parcerias com o objectivo de acompanhar a evolução da Internet.

"Google, Google and Google"
A maior empresa de Internet do Mundo registou um lucro de 1,4 mil milhões de euros, obtendo um crescimento de 23% nas receitas, isto relativamente ao mesmo período homólogo, contratando ainda neste primeiro trimestre 800 funcionários, detendo agora 20.621 trabalhadores. NEWS

"Twitter is the New Go-To Site for Travelers"
A Smart Money actualiza um aumento de utilizadores do Twitter em 600% no último ano. Publicou também fisicamente e online, uma estatística recente, que aponta para 6 em cada 10 pessoas utilizam a Internet para comprar viagens por via de sites na rede social. Revelando ainda a importância da rede social para a decisão dos destinos, pois encontramos experiências, testemunhos e recomendações. NEWS

Google Wave: Será o fim do e-mail? das redes sociais? e do msn?

Deixo-vos aqui a mais recente novidade da Google…





Todos nós andamos confusos com tantas redes sociais, é o twitter, hi5, facebook, live, blogs,… depois ainda temos o email, o qual se divide em coisas de trabalho, brincadeiras, assuntos pessoais e por fim o spam… para os vídeos temo o Tubo… temos o msn para conversas instantâneas… e muitas outras. Ou seja, são demasiadas plataformas as quais está na moda estar em todas e acaba-se por não estar em nada.

A Google fez o obvio e juntou tudo numa só plataforma e desenvolveu o Google Wave a qual vai ditar o fim do e-mail como nós o conhecemos e resolver o tão esperado problema do spam. Esta plataforma será uma verdadeira plataforma de comunicação e colaboração.

Para quem quiser saber mais http://completewaveguide.com/

Fonte:I:\Blog WebMarketing\Marketing 2_0_ & Comunicação Digital.mht

O Marketing e a sensibilização social

Uma das maiores empresas de marketing do mundo, resolveu passar uma mensagem através de um vídeo criado pela Transport Accident Commission e que teve um efeito drástico em Inglaterra.
Depois desta mensagem, uma significante percentagem da população Inglesa, deixou de usar drogas e de se alcoolizar, pelo menos nas datas comemorativas.

O Marketing social através da comunicação tem um papel fulcral, entre outros, na informação aos cidadaõs e na sensibilização social!

Aqui fica o vídeo da campanha!

http://www.youtube.com/watch?v=Z2mf8DtWWd8

"Blogoterapia" como um serviço público

Luís Graça, Sociólogo e Professor da Escola Nacional de Saúde Pública e ex combatente na Guiné Bissau, transformou em 2003 a sua página pessoal num espaço dedicado áquela ex colónia Portuguesa. Com 400 membros registados e 2000 visitas por dia, o blogue "Luís Graça & Camaradas da Guiné", presta como que um serviço público, ao dar espaço a um assunto tabú - Guerra colonial que continua a fazer sofrer em silêncio muitos Portugueses. Os relatos das experiências vividas são feitos no bloque na 1ª pessoa. Há um considerado efeito terapêutico, ajudando as pessoas a comunicar e averbalizar as suas recordações. O blogue acolhe membros de ambos os lados do conflito e apoia várias iniciativas de cariz humanitário, através da divulgação e recolha de fundos.
(Adptado de um artigo publicado na revista visão de 22 de Abril de 2010).

Temos aqui um exemplo de marekting social com a internet, mais uma vez, como papel de fundo!

segunda-feira, 19 de abril de 2010

O verdadeiro Home Cinema - Garrett Popcorn

Para quem dizia que não era possível termos as pipocas quentinhas em casa enquanto estamos a ver um filme, aqui está o serviço que nos faltava.

http://www.garrettpopcorn.com

Para os Canadianos, basta escolher a embalagem e as pipocas que querem e aí estão elas a caminho de casa...

Quem era capaz de dizer que não a um serviço destes?

segunda-feira, 12 de abril de 2010

Marketing de Guerrilha

Como temos vindo a discutir, a publicidade tradicional é um meio de comunicação que funciona cada vez menos. Por isso surgem alternativas como o marketing viral, o marketing tribal e o marketing experiencial (vencedor da nossa sondagem), onde se inclui o marketing de guerrilha.
Este último refere-se a acções de comunicação que quebram a rotina do dia-a-dia com algo surpreendente na esperança de gerar passa-palavra. Tratam-se de acontecimentos insólitos (muito ao estilo dos "Insólitos Yorn" ou das "Flash Mobs") que procuram uma perspectiva diferente do quotidiano e novos usos para os espaços públicos. Nalguns casos, estes eventos são convocados e organizados através das redes sociais e da internet, numa era onde, ironicamente, a total conectividade "virtual" parece diminuir outras formas de contacto humano e dificultar a vivência de experiências e emoções "reais". São, também, uma nova forma de encarar o entretenimento, que tende a ser cada vez menos passivo e mais voltado para a surpresa - tornando as pessoas mais participantes e menos espectadoras, pretendendo transmitir um clima de espontaneidade e naturalidade. Menos interrupções, mais histórias.
O marketing de guerrilha pode ajudar as marcas a criarem uma experiência capaz de gerar atenção, envolver as pessoas e entretê-las (aqui o vídeo de uma acção de guerrilha da FNAC). Os consumidores podem participar nas acções e interagir, como se de "ataques-surpresa" ou "emboscadas" de "guerrilheiros" com pouco orçamento e treino mas extrema mobilidade e criatividade se tratassem (aqui o vídeo da manif de promoção da última temporada de "Lost" na FOX, com fãs da série). É uma forma de criar um diálogo, ao invés de uma mensagem unilateral dos meios tradicionais. Além dos exemplos já referidos, merece também destaque a campanha Be Stupid da Diesel e uma das suas acções de marketing de guerrilha nas ruas de Paris e também a Be Stupid Secret Party realizada durante a Moda Lisboa para lançamento da colecção Primavera-Verão 2010.
Deixo-vos ainda alguns exemplos curiosos destas acções, mas espontaneamente gerados por comunidades informais de utilizadores da net.


O International Pillow Fight Day (ou Dia Internacional de Lutas de Almofadas) celebra-se desde 2008 no ínicio de Abril. Este ano, os Invictados foram responsáveis pela sua organização no Porto no passado dia 3 de Abril na Avenida dos Aliados. Mais detalhes no seu blogue e no Facebook (e para dia 17 de Abril já está previsto um Concerto de Testos nas inaugurações da Bombarda...)
Também curioso é o Dia Mundial Sem Calças ("No Pants Day"), que se comemorou no passado dia 10 de Janeiro. Este dia acontece há vários anos em vários países graças ao grupo Improveverywhere e começou numa simples brincadeira que consistia em tirar as calças (!) em locais como o metro e ruas movimentadas e agora arrasta-se por 42 cidades e 15 países. O ImprovLisboa foi o grupo responsável em Portugal pela sua organização pelo 2º ano consecutivo.



Finalmente, o movimento "Free Hugs" distribui abraços grátis aos traseuntes. Iniciado por Juan Mann em 2004 em Sidney, Australia, o movimento ganhou projecção em 2006 e as suas "brigadas" mobilizam apoiantes por todo o mundo. O International Free Hugs Day é celebrado no primeiro sábado de Julho. O evento realizou-se também em Lisboa e no Porto (para ver vídeos clicar nos links). Às vezes basta um abraço..."we are all the same"...:)

sábado, 10 de abril de 2010

Optimus Secrets Shows

Bem, como o blog também serve para dar conta de acontecimentos, fica aqui o link do myspace para Optimus Secrets Shows.

http://www.myspace.com/optimussecretshows

O que julgo ser mais interessante nestes eventos é que a Optimus proporciona a um número restrito de pessoas quer sejam fãs ou não, de poder ver um concerto sem ter de pagar.
Por outro lado os felizardos que conseguiram aceder a tal evento ficam a julgar-se os mais importantes. isto cria uma impressão de favoritismo, que as pessoas gostam de partilhar umas com as outras!
O que interessa é que a marca Optimus seja divulgada como pro-activa e que ate dá uns concertos de graça e patrocina eventos com gente famosa ou em ascensão de carreira.

Já muitas vezes falamos nas aulas que uma das características da Internet é que é um óptimo meio de comunicação.
Presumo que se não houvesse internet muitas das actividades ou eventos que as marcas fazem não teriam tanta adesão. Por falar nisso aproveito para responder que entre Tv e internet opto por Internet e que não me estou a ver sem Internet no meu dia-a-dia.

Julgo que ainda para mais como se pode aceder à tv através da internet, este meio ganha a passos largos ao outro, porque tem mais vantagens, é mais rápido e tem diversas áreas onde nos podemos informar ao mesmo tempo, com a apenas um click.

Coca-Cola

Gostava de partilhar com todos uma publicidade que chegou até mim via email.

video


A pergunta que se coloca é se hoje alguém se lembrava de fazer tal coisa?

Julgo que todos já reparamos que somos bombardeados com mil e uma ideias/publicidades durante o dia. Por isso para que o cliente tome atenção a mais uma, essa tem de ter algo de diferente e algo que chame a atenção.

Bem pelo menos, podemos dizer que esta está engraçada e criativa. E atinge um público- alvo muito jovem.

quinta-feira, 1 de abril de 2010

Internet ou Televisão?

Se tivessem que escolher entre televisão e internet, qual seria a vossa escolha?


Nos Estados Unidos, foi efectuada uma pesquisa e a eleita foi... a internet. Este resultado será obtido certamente noutros países, o que faz com que consecutivamente o web marketing faça cada vez mais sentido de ser utilizado. Resultados como este apontam o novo caminho do marketing.

http://www.marketeer.pt/2010/03/31/voce-decide-eliminar-tv-ou-a-internet/



"Como comunicar com a geração Facebook?"


Na sequência do que tem sido discutido nas aulas sobre a Geração Net e de posts anteriores sobre o gap entre Digital Natives e Digital Immigrants, em tom de fim-de-semana de Páscoa deixo-vos para leitura o artigo publicado no Diário Económico da autoria de Lucy Kellaway, cronista do Financial Times. Segundo a autora, o abismo entre as gerações AF e DF (antes e depois do Facebook) é de tal forma que se no futuro quisermos comunicar com alguém com menos de 40 anos, só nos resta aderir ao Facebook. Tal como fizeram 36 milhões de mães nos EUA para manterem os filhos debaixo de olho.
Simplesmente delicioso...

Mas, de facto, como comunicar com esta nova geração? Um estudo recente realizado pela Netsonda para a agência Fullsix, entitulado "Redes Sociais em Portugal", revela que os cibernautas não gostam de ser bombardeados com publicidade. A maioria dos inquiridos diz que quando quer publicidade vai procurá-la. Mais de 30% detesta anúncios e considera-os intrusivos e para 53% estes são irrelevantes. Entretanto, já 45% utiliza as redes sociais para se manifestar sobre produtos. Como será discutido na próxima aula, o consumidor quer cada vez mais menos interrupções e mais histórias...

Neste âmbito, deixo-vos uma nova sondagem "Qual a melhor estratégia para comunicar com a Geração Net?", embora as estratégias apresentadas não sejam, conforme já discutido nas aulas, mutuamente exclusivas.

P.S.: Aproveito também para lançar um outro desafio: num momento em que o interesse e ritmo vertiginoso de lançamento das mensagens torna necessário um acompanhamento cada vez mais próximo, por que não angariar mais seguidores do blogue?...


Boa Páscoa para todos!

Até o marketing na internet já é alvo de mitos!

Até o marketing na internet já é alvo de mitos! Aproveito para vos deixar aqui um artigo sobre esses mitos.


Os 3 Mitos do Internet Marketing


(Ou como a falta de conhecimento ou conservadorismo de gestão podem retirar às PME´s a sua vantagem competitiva)

No início dos anos 70, quando o fax foi introduzido no mundo dos negócios, muitas PME´s demoraram a adoptar esta tecnologia.
Razões? O equipamento era caro, pouco cómodo e mesmo difícil de utilizar e até ocupava a linha telefónica. Mas, mais importante: significava uma mudança na forma de actuar.

As evidentes vantagens na produtividade, na condução de acções de Marketing, o facto de o equipamento se pagar a si próprio com rapidez, não foram logo percebidas e os empresários levaram o seu tempo a convencer-se destes benefícios.

Mas o que tem a máquina de fax a ver com o Internet Marketing?
MUITO!
Apesar de todos os estudos que provam a sua eficácia, o Internet Marketing tem sido utilizado no Mundo, sobretudo pelas maiores empresas. Para muitas PME´s o Web Marketing é como a velha máquina de fax.
Só que, ignorar hoje as vantagens do Web Marketing custa muito mais às empresas em desperdício de ganhos, do que custou manter o velho correio postal em vez do fax.

Para perceber porquê muitas PME´s se mantêm ainda tão relutantes em investir em Soluções de Internet Marketing (“IMS – Internet Marketing Solutions) a WSI conduziu com a “Research International” uma pesquisa em várias zonas do Mundo Ocidental.
Concluiu-se que, independentemente da sua localização geográfica, os donos das PME´s têm uma ideia errada, ou nenhuma ideia, do que é e do que pode fazer o Marketing na Internet pelo seu negócio.

1º MITO: “O meu negócio não precisa de Internet Marketing”

Foi generalizada a falta de percepção da necessidade do I.M. mas não houve nenhum Pequeno ou Médio Empresário bem sucedido que negasse a necessidade de dar a conhecer o seu negócio.
Actualmente os grandes motores de busca na Internet, como o Google ou o Yahoo, têm muitos milhares de categorias de negócios nos seus directórios: desde o comércio tradicional, aos serviços especializados, às diferentes áreas de produção, até aos muito pequenos negócios.
A realidade hoje é que quem tem um produto ou serviço para vender, deve perceber que os seus potenciais Clientes vão procurá-lo online, ou seja, na Internet. Por isso, o grande objectivo das PME´s é serem encontradas por quem quer que seja que precise de adquirir o seu produto ou serviço.


2º MITO: “O Internet Marketing é muito caro”

Naturalmente todos os Pequenos e Médios Empresários são muito sensíveis aos custos; mas é um equívoco pensar que o I.M. é caro.
De facto as Soluções de Internet Marketing são muito mais “cost effective”, (ou seja económicas em termos dos benefícios reais produzidos pelo dinheiro aplicado) do que os meios tradicionais conhecidos pelos Pequenos e Médios Empresários para dar a conhecer o seu negócio. Por exemplo, um pequeno anúncio em directórios telefónicos, como páginas amarelas, pode custar várias centenas de euros por ano, e não garante que atrai para a PME anunciante quaisquer contactos, muito menos os de potenciais Clientes, ou seja o contacto apenas de quem necessita dos produtos ou serviços que a PME anuncia.
Com um orçamento até menor, uma campanha de Marketing online num motor de busca (Google, Yahoo, outro...) só atrai para o site da empresa as entidades interessadas nos seus produtos ou serviços, ou seja, impacta quase exclusivamente o mercado alvo da empresa.
As tradicionais acções de Marketing Directo ou anúncios nos “media” são substituídos com menor custo e mais eficácia por campanhas de “e-mail Marketing” ou “ofertas” online que atraem o segmento de mercado que é o alvo do negócio da empresa, e não quem o não é.
E como as ferramentas de Internet Marketing são disponibilizadas com muito mais rapidez que os meios publicitários tradicionais, as PME´s ficam habilitadas a responder mais depressa a quaisquer alterações do mercado.

3º MITO: “As empresas de Internet não são confiáveis; nunca sei em quem acreditar”

Mesmo para as PME´s que percebem as vantagens do Internet Marketing, a questão de quem escolher para fornecedor é muitas vezes uma dificuldade para avançar.
Então para as PME´s não familiarizadas com as vantagens do Web Marketing, a escolha de um fornecedor confiável pode ser mesmo assustadora. Mas vale a pena o esforço, porque o receio de fazer a escolha errada de fornecedor leva muitas vezes a desistir o que coloca estas PME´s fora das actuais potencialidades do mercado.
Qual a melhor atitude a tomar? Escolher o seu fornecedor de Soluções de Internet Marketing como escolhe qualquer outro fornecedor de serviços especializados: pergunte, peça opinião de amigos, ou mesmo só conhecidos; não decida baseado apenas no preço, porque muitas vezes as propostas são boas demais para ser verdade; informe-se sobre a experiência dos fornecedores que está a avaliar, visite os seus sites; veja há quanto tempo estão no negócio de Internet Marketing; obtenha testemunhos de Clientes desses fornecedores; não esqueça que qualquer empresa com reputação está disponível para partilhar consigo todas estas informações…
O importante é que os donos/gestores das PME´s sejam proactivos não deixem que antigas formas de pensar o negócio os levem a sufocar a sua capacidade de crescimento.
As PME´s que continuam a ignorar as oportunidades do Internet Marketing arriscam-se a ficar para trás dos seus concorrentes que já ultrapassaram estes três mitos e descobriram que, muitas vezes, mudar a forma como as coisas são feitas é uma escolha muito rentável.

Fonte: http://www.internet-wsi.com/dynamicdata/mitosinternetmarketing.asp