quinta-feira, 30 de maio de 2013

Felicidade a dobrar :)

Numa altura em que tudo se partilha no Mundo virtual e real, a Coca Cola lançou uma nova embalagem que se  divide em duas, dando ao consumidor a possibilidade de partilhar a lata que antes não conseguiam.

Durante anos, a marca tem incentivado as pessoas a compartilhar a felicidade. Assim, projeta uma nova lata para duas pessoas. Mesmo ficando a lata com metade do tamanho, a felicidade vem a dobrar e o objectivo é mesmo a partilha.

É uma ideia bastante inovadora e atual , no sentido da partilha. Para muitas pessoas dividir uma lata de coca cola é impensável. Assim, compra uma e divide em duas.
Adorei a ideia!
E vocês já conheciam? :)







"One day we won't need the viewer"

A forma como certos conteúdos atingem o estatuto viral ainda está muito longe de ser percebida e operacionalizada pelos operadores no mercado.

Ainda não sabemos como é que isso acontece…
mas já sabemos de alguém que faz com que isso aconteça :))

Gosto particularmente do slogan de promoção do serviço desta Buyral objetivo e direto!
Now you can buy the clicks you need to go viral!”

Mobile marketing

Trata-se de uma tendência também identificada por Pedro Miguel Barbosa no seu livro Harvard Trends e que consiste na necessidade de optimização da comunicação digital e desta ser uma exigência crescente num ambiente em que alcançar a notoriedade no mundo virtual é cada vez mais difícil.

É neste contexto de crescente importância dos dispositivos móveis (smartphones e tablets) que o estudo da comunicação nestes dispositivos assume uma prioridade e um desafio para as marcas.

Neste endereço da Mobile Marketing Association encontram estudos de vários casos e em vários sectores de actividade http://www.mmaglobal.com/resources/case-studies 

Estudos recentes têm demonstrado que a eficácia da comunicação em mobile é uma das mais difíceis de alcançar, sendo que a capacidade de síntese é identificada como a competência mais crítica para o sucesso dessa comunicação.

E na verdade enquanto consumidores e usuários de smartphones e tablets é isso mesmo que precisamos e que conseguimos processar – mensagens sintéticas e eficazes – sem isso será possível prender a nossa atenção?

Vendas Smartphones Vs. Phones

Foi no primeiro semestre de 2013 que as vendas globais de smartphones superaram as vendas de phones (em todo o mundo):

http://convergenciadigital.uol.com.br/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=33602&sid=122#.Uacj0EDFV14


quarta-feira, 29 de maio de 2013

AdWin : é ver para ter!



A AdWin é uma plataforma portuguesa de gamification criada com o objetivo de aumentar e melhorar a relação entre as marcas e os consumidores.

As empresas oferecem recompensas aos consumidores para que eles visualizem vídeos, respondam a questionários e partilhem a informação no Facebook.

Estabelece-se assim uma relação win-win entre a marca e o consumidor, através de incentivos para ver os conteúdos, abrindo oportunidades de experimentação de produtos, recolha de feedback com dados demográficos e partilha nas redes sociais.

Através desta ferramenta, as marcas acedem a um canal privilegiado de contacto com os consumidores, conseguindo reduzir as barreiras que estes têm criado à publicidade.

Destaca-se o elevado nível de engagement que as marcas estabelecem com os seus clientes, devido ao seu caracter facultativo, uma vez que os consumidores só vêem o que realmente lhes interessa.

José Abecasis Soares, responsável pelo projecto, explica que a AdWin “nasce da necessidade de criar uma plataforma online que permita completar o ciclo de venda, desde a divulgação de um produto, até ao lead de venda desse produto”. Uma vez que as ofertas atuais de marketing digital, não atendem essa necessidade. “O YouTube permite gerar grandes volumes de visualização de vídeos, mas é estéril no momento de dar continuidade ao interesse gerado pela marca. O Facebook permite angariação de fãs, mas é limitado em termos de vídeo, feedback e venda. O sites de descontos, procuram uma interação oportunista, ou seja, não estimulam a relação a longo-prazo do cliente com a marca”, acrescenta.

Apesar de estar em fase de lançamento, a AdWin conta já com algumas campanhas da L’Oreal Paris, Warner Bros., Garnier, Campofrio, Fitness Hut ou Chilli Beans.

Fonte: Dinheiro Vivo
 


FOMO

A evolução digital veio alterar o paradigma das relações sociais entre os seres humanos. Diversos estudos analisam as consequências psicossociais da adoção massiva dos meios digitais e a forma como vieram alterar os nossos padrões comportamentais.

FOMO (Fear Of Missing Out) é um conceito recente, mas que ilustra uma tendência cada vez mais visível: a dependência dos canais de comunicação digitais como alternativa para que não nos sintamos excluídos.


E vocês, sofrem de FOMO? :)

terça-feira, 28 de maio de 2013

Publicidade enganosa

Claro que esta notícia (publicada na revista visão on-line a 28/05/2013) é referente a um caso que se passou nos EUA, pais onde a defesa do consumidor funciona mesmo ( às vezes até demais).
Passo a descrever a situação:
A marca de ténis norte-americana Skechers foi condenada a pagar cerca de 31 milhões de euros relativamente à publicidade enganosa feita para o modelo de ténis Shape-up.
A marca publicitou os referidos ténis alegando que o formato instável da sola fazia com que se perdesse peso e a fortalecer os músculos, sendo estes uma ferramenta de fitness.
A empresa foi obrigada a devolver os cerca de 70€ gastos pelos 520 mil consumidores que compraram os ténis.

All eyes on the S4

O desafio era simples: ficar uma hora a olhar para um Samsung Galaxy S4. 

Parece fácil, não é? Mas é claro que a Samsung não podia facilitar!

Vejam o vídeo desta campanha espectacular na Suiça. E vocês...conseguiam?


McDonald's Piccadilly

Publicidade interactiva, haja imaginação!
video

domingo, 26 de maio de 2013

"Nothing to hide"_Domino's Pizza


Veja o que se passa na cozinha onde a pizza que encomendou está a ser confeccionada

A marca americana Domino's Pizza tem agora à disposição um novo sistema online, através do qual o cliente, para além de poder escolher os ingredientes, pode também ver a pizza que encomendou a ser confeccionada, em tempo real.


O sistema consiste na instalação de uma série de câmaras em pontos estratégicos do ponto de venda/local de confecção das pizzas e a transmissão destas imagens no site da marca.

Desta forma, a empresa consegue fortalecer a confiança do cliente na marca, aumentando a sua credibilidade e transparência. A marca Domino’s Pizza está a utilizar uma ferramenta simples e relativamente barata (recorrendo às novas tecnologias e em particular, à internet) de publicitar os seus produtos e apresentar-se como uma empresa inovadora, que não tem nada a esconder.

De destacar também, que no caso de produtos alimentares como este, a questão da segurança e higiene na cozinha é importante e cada vez mais tida em conta pelos clientes. Esta marca conseguiu um método, talvez mais eficaz do que qualquer certificado, de provar ao cliente que tem os cuidados necessários na confecção dos produtos. 

A Vingança... dos Pombos!

Por curiosidade, deixo aqui o novo anúncio da Ford!
A Ogilvy levou a cabo uma ação de guerrilha que contou com a "colaboração especial" dos pombos de Lisboa.



Os pombos revoltaram-se contra os carros com motor de "antiga geração" e poluidores do ambiente, deixando um  modelo mais antigo da Ford complemente irreconhecível! 
Mesmo ao lado, o novo Ford EcoBoost, limpo e brilhante... Escapando, como que por milagre, à ação dos pombos vingadores!

Haja criatividade!

sábado, 25 de maio de 2013

"THE F-FACTOR"

Entenda-se por “THE F-FACTOR” a influência que os 3 F’s – friends (amigos), fans (fãs) e followers (seguidores) – têm sobre as decisões de compra dos consumidores.

O F-FACTOR permite aos consumidores descobrirem o “melhor do melhor” sem desperdiçar tempo na sua procura e sem confiar em fontes distantes ou até pouco fiáveis. O F-FACTOR prende-se com o facto das marcas serem tão excepcionais que os consumidores vão encontrá-las e escolhe-las, sem que estas tenham que fazer algo para chamar a atenção do consumidor.

Atualmente, o F-FACTOR está mais presente a nível online, sendo alimentado por novas ferramentas e plataformas disponíveis.



Formas como o F-FACTOR influencia o comportamento de consumo:
  • F-DESCOBERTA:  Como os consumidores descobrem novos produtos ao confiarem nas suas redes sociais.
  • F-AVALIADO:  Como os consumidores vão cada vez mais receber avaliações e recomendações direcionadas das suas redes sociais.
  • F-FEEDBACK:   Como os consumidores podem pedir aos seus amigos e seguidores que aperfeiçoem e validem as suas decisões de compra.
  • F-JUNTOS:  Como o ato de compra é cada vez mais social, mesmo quando os consumidores e os seus pares não estão fisicamente juntos.
  • F-EU:   Como as redes sociais dos consumidores literalmente se transformam em redes de bens e serviços.


Estatísticas do F-FACTOR em relação às marcas:
  • 3/4 de usuários do Facebook “Gostam” de uma marca.
  • A marca Juicy Couture descobriu que sua taxa de conversão de vendas aumentou 160% depois da instalação de ferramentas para partilha social.


Em suma, a única forma que as marcas têm de garantir o sucesso é fazendo com que os consumidores gostem delas, devido à sua performance de qualidade superior. Contudo, atualmente é também essencial que as empresas apresentem novas ferramentas e plataformas que ajudem os consumidores a descobrir, discutir e comprar os seus bens ou serviços. 

Showrooming

Muito se tem falado no ROPO (Research Online, Purchase Offline) mas… e se invertêssemos o processo? Este fenómeno chama-se showrooming: nós, consumidores, showroomers, recolhemos informação, experimentamos, comparamos e escolhemos na loja (offline) aquilo que depois compramos online, num e-commerce, em que o preço é mais apelativo.
Tudo isto se tem possibilitado com a entrada na era digital, com o acesso à Internet e com a constante difusão e melhoria dos computadores, smartphones e tablets. No limite chega a ser possível comparar preços e fazer pedidos em lojas virtuais enquanto se visitam os pontos de venda físicos.
É, sem dúvida, um novo tipo de concorrência ao qual as lojas físicas não podem fugir. “E se não podemos lutar contra eles, juntemo-nos!” – é necessário que haja uma integração dos mundos online e offline (fazer cross channel) que lhes permita manter a sua importância, conveniência e interactividade.

quinta-feira, 23 de maio de 2013

O Comércio em 2020

As tecnologias e o crescimento do comércio eletrónico estão a criar novos hábitos nos consumidores.
 
Antes de sairmos de casa para comprar alguma coisa vamos à internet comparar preços, escolhemos exatamente as características que queremos em cada produto, vemos se tem ou não disponibilidade na loja, etc.

A propósito do que falamos na última aula, deixo aqui as tendências do comércio para o ano de 2020:

1. As lojas físicas tendem a especializar-se. Com a crescente digitalização, as lojas físicas irão progressivamente desaparecer, e apenas aquelas que tenham a capacidade de se especializar vão conseguir sobreviver.

2. Os smartphones vão converter-se em verdadeiros conselheiros privados. Os telemóveis inteligentes vão conhecer de forma mais aprofundada os nossos gostos e necessidades, oferecendo conselhos e atividades personalizadas.

3. Os cupões de desconto serão uma arma de marketing. Os cupões de oferta e de desconto vão converter-se em algo imprescindível para atrair clientes e criar laços com aqueles que já o são.

4. O botão “Gosto” irá ultrapassar a barreira digital. As lojas físicas poderão no futuro incluir cabides com ecrãs nos quais os clientes poderão fazer “like” da peça que seja do seu agrado (ex. C&A Brasil)

5. Os produtos mostrarão mais informação sobre si próprios. Graças aos chips integrados nas roupas, os consumidores terão a possibilidade de aceder a informações adicionais do produto escolhido.

6. Os espelhos inteligentes serão “normais”. A presença de espelhos que explicam as características da roupa que se está a provar vão ser comuns nas lojas físicas.

7. A barreira entre o comércio online e offline tenderá a desaparecer. As lojas físicas poderão tornar-se em verdadeiros locais híbridos, apresentando características das lojas online. Além disso, os produtos vão apresentar-se de forma cada vez mais criativa e surpreendente, para gerar expectativa e interesse nos clientes.


Estas mudanças acima descritas implicarão grandes alterações na sociedade e na nossa forma de fazer comércio.
 
Julgo que o fim anunciado das lojas físicas não vá ainda ocorrer dentro dos próximos 10 anos. Não nos podemos esquecer que existem ainda muitas pessoas (nomeadamente nos meios mais rurais e/ou com reduzidas habilitações) que ainda não estão tão ligadas a este mundo online, e muito menos estão preparadas para esta mudança drástica na forma de "comprar". Ir ao supermercado, ir ao shopping e experimentar a roupa, continuarão a ser hábitos de parte da população portuguesa nos próximos anos.
 
Esta evolução descrita deverá, muito provavelmente, acompanhar as gerações mais novas, ao longo dos anos. E esta evolução já começou!


Spotlight on Reinventing Retail - The Future of Shopping

Focando o tema sobre a reinvenção das vendas de produtos online e concretamente o artigo: Spotlight on Reinventing Retail - The Future of Shopping de Darryll Rigby(2011)considero que as vendas online podem e devem complementar as vendas das lojas tradicionais.
Conforme explica o autor, e bem, existem vantagens de ambos os tipos de compras que devem ser bem explorados de forma a tornarem-se numa vantagem competitiva e uma mais-valia para a empresa que escolher explora estas vertentes do negócio. O Omnichannel Retailing torna-se uma boa forma de satisfazer os clientes cada vez mais exigentes que querem ter acesso a uma oferta quase ilimitada de artigos. Esta forma de negócio pode ser uma forma de se inovar e personalizar cada vez mais o artigo ao cliente que procura um determinado bem. Podem satisfazer cada vez mais os diferentes nichos de negócio.

quarta-feira, 22 de maio de 2013

Juntar um quê de social à compra de um carro


Nas últimas aulas falámos de como, em alguns casos, os meios online ainda não substituem inteiramente a compra presencial numa loja física, mas são um complemento importante na experiência de consumo.
Nestes casos, a experiência de consumir é mais contínua e duradoura e serve-se tanto do online, dos dispositivos móveis, das redes sociais, como das lojas físicas. O processo de compra começa muito antes do momento em que os clientes se dirigem às lojas físicas e as marcas já começaram a delinear estratégias para se relacionarem com os consumidores logo na fase inicial do processo.
Exemplo disto é a aplicação, ainda em protótipo, que a Toyota EUA anunciou que irá disponibilizar aos seus potenciais compradores, permitindo-lhes uma experiência única na personalização dos veículos. A grande novidade é que a aplicação permitirá uma experiência dinâmica, interativa e colaborativa com os amigos na escolha das cores e dos acessórios e terá a possibilidade de fazer todas as perguntas a um «especialista» que se juntará ao grupo, se o potencial comprador o solicitar, tal como se estivesse numa loja concessionária. Para além de poder realizar um test-drive virtual, a aplicação também disponibilizará uma versão final do carro criado que poderá ser guardada e partilhada no Facebook, Google+  e outras redes sociais.


terça-feira, 21 de maio de 2013

MEO vrs RED....

Nao acham que este anuncio entre muito no "RED" ou nível "baixo" da concorrência?

http://youtu.be/0QC45FKDl9c

Nem tudo é tecnologia!!

Quais os produtos que continua a utilizar tradicionalmente?

http://youtu.be/RRDSj62tlvQ

Apoio ao cliente online

Mais uma vez abordo o tema de apoio ao cliente online, que todas as marcas desenvolvem, muitas vezes para melhorar o serviço ao cliente, outras apenas para copiar os seus concorrentes ou outras apenas porque está na moda.

Para que a marca crie um sistema online bidirecional, tem de se ponderar qual o objetivo dessa plataforma.
Os comentários negativos online são muito mais virais que os positivos, e esta verdade pode pôr em risco a performance de uma empresa. A gestão de um serviço destes tem de ser muito controlado e eficaz.

Partilho convosco um caso já conhecido de muitos e que representa um brilhante exemplo do referido acima:

http://www.dinheirovivo.pt/Buzz/Artigo/CIECO090887.html

Este caso decorreu no facebook da Sumol (que entretanto foi eliminado), após o anúncio de que a empresa iria despedir 70 trabalhadores.
A resposta da fornecedora de refrigerantes ao seu cliente teve proporções muito negativas. Não encontrei dados acerca do impacto nas vendas mas os comentários negativos acerca da postura 'pouco ética da sumol'  espalhou-se viralmente. 
Criaram-se inclusive artigos de erros a evitar nestas plataformas online:

http://www.jorgemanuelbraz.com/2013/01/13/10-erros-a-evitar-no-facebook/

Retargeting

O retargeting é uma técnica associada à comunicação digital que se suporta no estudo do comportamento do consumidor online e através do qual se consegue segmentar os consumidores de tal forma detalhada que se aproxima a relação one-to-one.

Com os “cookies” os consumidores vão fornecendo informações acerca do seu comportamento online e acabam a ser eles próprios a se auto-segmentarem!

Como funciona o retargeting:
Tendencialmente o consumidor faz isto de uma forma inconsciente, pelo que voltamos novamente à questão já abordada nas aulas de WebMarketing…

… será que na era da internet o consumidor afinal não é tão livre como muitas vezes se afirma?

segunda-feira, 20 de maio de 2013

QR Code Heineken no Optimus Alive 2012

De acordo com o meu comentário na publicação QR code na... calçada portuguesa, partilho convosco a notícia que descreve a iniciativa da Heineken no Optimus Alive de 2012.

Como Premium Sponsor deste festival, a Heineken tinha uma tenda de divulgação da marca, com dinâmica para os participantes do festival. O objetivo desta atividade tinha por base não só a interação do cliente com a marca mas também a interação dos participantes entre si.

Para tal, foram utilizados QR Codes:
http://www.briefing.pt/marketing/17232-heineken-implementa-qr-codes-no-optimus-alive.html

Foi uma das melhores dinâmicas do festival e sem dúvida a fila era sempre enorme uma vez que todos queriam o 'seu' QR Code.


Uma excelente iniciativa!

Criar frases com o corpo_Campanha PUMA


A marca Puma convida fãs a criarem frases com o corpo na nova campanha de publicidade à sua linha de perfumes Sync

Em linha com o artigo do Jornal de Notícias, publicado na página da disciplina (no passado dia 16 de Maio), sobre o Prosumer, aqui fica um exemplo que corrobora a opinião de Andrew Lipman: “Há que construir plataformas, o cliente faz o resto.”

Nesta campanha, a Puma convidou 25 bailarinos de Freestyle a criarem um dicionário de dança, associando um movimento a cada palavra. Colocou o vídeo numa plataforma criada para esta campanha (associada ao site da marca) e os fãs são convidados a usarem palavras deste “dicionário” e construírem assim, frases. O objectivo é partilharem estas frases/coreografias, através do Facebook, Tweeter e E-mail.

Vejam o dicionário de dança (vídeo de apresentação da campanha):


A Puma criou assim a plataforma, e o cliente faz o resto! Podemos aqui identificar o conceito de Prosumer, em que é o cliente que faz o produto, ou neste caso, faz a própria campanha publicitária e inclusivamente fá-la “circular”, partilhando-a. Lipman vai mais longe e defende que o produto não deve ter uma participação do cliente individual na sua produção ou na sua publicitação, mas sim uma participação colectiva, significando que as empresas devem utilizar o marketing participativo numa lógica de nicho/grupo com interesses comuns. E é o que acontece com esta campanha da Puma. A primeira pessoa que constrói uma frase vai partilhá-la com alguém com quem tem interesses em comum. E possivelmente esta pessoa fará o mesmo. Neste caso, o interesse comum pode ser a dança, a própria marca, ou simplesmente o que é inovador e cria curiosidade.

Desta forma, a Puma consegue chegar a um público jovem e dinâmico (utilizadores frequentes da internet, jovens com um papel activo nas redes sociais e fortes influenciadores que gostam de participar e dar opinião).

Funcionando numa lógica de partilha, podemos também falar em Marketing Viral, no sentido de que mesmo que eu não construa uma frase, se achar interessante o que o meu amigo partilhou comigo, vou partilhar com outras pessoas, criando-se o efeito word of mouth.

Esta campanha prima pela originalidade, mostrando uma forma de comunicar, fora do habitual: através da dança. A linguagem corporal já é reconhecida por todos, mas neste caso, aliada às potencialidades das redes sociais, está a ser aproveitada engenhosamente pela marca, para chegar a um público jovem, que procura a inovação e/ou até um público mais específico apreciador deste tipo de dança e da beleza da comunicação através dos movimentos. 

Podem ver a plataforma da campanha em: http://www.pumadancedictionary.com/ 

domingo, 19 de maio de 2013

ZMOT

Antes da era 2.0, e segundo o modelo tradicional de consumo, o consumidor tomava conhecimento de determinado bem através de um estímulo (ou awareness), que decorria à distância, e que o incentivava à tomada de decisão. Posteriormente existia o “primeiro momento na loja” no qual existia um contacto com o vendedor e visualizava o bem na “prateleira”. De seguida o consumidor ia para casa e dava-se o segundo momento da verdade ao experimentar esse bem e todas as impressões que daí decorrem.



Mas tudo mudou nesta era digital em que vivemos e em que a internet tende a comandar o comportamento dos consumidores. Segundo o e-book do Google, quando o consumidor se depara com um anúncio de televisão, uma publicação num fórum, uma interação de um amigo sobre determinado bem, inserindo-o num passa-a-palavra, ele tende, tanto quanto antes, a fazer uma pesquisa online e a tornar-se num claro prosumer. E é nesse momento que se dá o primeiro contacto, online, não físico, entre o produto ou serviço e os potenciais clientes. Para caracterizar este momento foi utilizado o acrónimo ZMOT - “Zero Moment of Truth” ou “Momento Zero da Verdade”.
O ZMOT acontece antes do primeiro momento da verdade, em que se dá a aquisição na loja, e como resultado da experiência, do encantamento gerado ou não, e das publicações que possam surgir– segundo momento. Este é um fenómeno que tem influenciado as decisões acerca dos mais variados produtos – desde os mais dispendiosos, como casas e carros, até aos mais vulgares, como alimentos e vestuário.
Este “Momento” tem algumas características peculiares e importantes:
·         Acontece online e, portanto, é em tempo real;
·         Dá o controlo ao consumidor que escolhe onde quer ver as especificidades do bem ao invés de ter de acreditar somente naquilo que a empresa comunica;
·         É do foro emocional uma vez que, como se trata de uma necessidade que precisa de ser satisfeita, o consumidor investe tempo a pesquisar;
·         Não se trata de uma comunicação bidirecional entre empresa e consumidor mas é mais que isso – é multidirecional: envolve empresas, especialistas, amigos, estranhos, etc.
E é nesta última especificidade que as empresas devem estar atentas, e apostar numa boa estratégia de marketing digital e em ter visibilidade online para atrair consumidores que depois podem gerar um word-of-mouth (ou word-of-mouse) positivo que vai ser significativo e preponderante na tomada de decisão de outros consumidores.
Então mas como se ganha este momento de verdade?

sábado, 18 de maio de 2013

Campanha «Dove for Real Beauty» continua com «Dove Real Beauty Sketches»

A Dove continua a garantir visibilidade com os vídeos que integram a campanha «Real Beauty» e que rapidamente se tornam virais.
Desta vez, trata-se de um vídeo em que um artista forense cria dois desenhos de algumas mulheres: um, a partir das próprias descrições dos seus rostos; outro, a partir de descrições de outras pessoas. No fim, os desenhos são postos lado a lado e o vídeo termina com o slogan: «You are more beautiful than you think».


Lançado em meados de Abril, o vídeo Dove Real Beauty Sketches conseguiu 30 milhões de vizualizações em apenas 10 dias, vídeo-respostas humorísticas no masculino e alguma (pouca) controvérsia. A verdade é que a campanha criada pela Ogilvy & Mather Brasil está a fazer com que a Dove continue a dar que falar.

MEO Kanal galardoado em Marketing Digital


Com um público-alvo de cerca de 1,2 milhões de clientes MEO, o serviço MEO Kanal foi um dos 14 projetos vencedores dos Prémios da Associação do Comércio Eletrónico e Publicidade Interativa (ACEPI), iniciativa que distingue o que de melhor se faz nas áreas de Comércio Eletrónico e Marketing Digital.

O MEO Kanal foi reconhecido com o Prémio Inovação em Marketing Digital. Este reconhecimento enaltece o conceito inovador do serviço prestado, sendo que o próprio constitui um ponto de viragem na experiência televisiva dos portugueses. O MEO Kanal permite que cada cliente crie o seu próprio canal de televisão e que o partilhe com a família, amigos ou mesmo com outros clientes MEO. 


sexta-feira, 17 de maio de 2013

iMODEL www.dezainedeparede.com

A propósito de um tema abordado na última aula de WMCE - relativo ao surgimento de plataformas colaborativas que permitem a participação do consumidor na produção dos outputs, originando uma nova abordagem ao processo de intermediação - aqui fica o link ao site de uma empresa de São João da Madeira que possibilita a personalização do papel de parede com imagens ou temas fornecidos pelo próprio consumidor, o qual pode, através de uma aplicação existente no site desta empresa, construir e visualizar a sua própria ideia e depois solicitar a produção desse papel de parede.

quinta-feira, 16 de maio de 2013

Melhores projectos de eCommerce e Marketing Digital em Portugal

A ACEPI - Associação do Comércio Electrónico e Publicidade Interactiva - deu a conhecer esta terça-feira os vencedores dos Prémios Navegantes 2012, que distinguem os melhores projectos de eCommerce e Marketing Digital em Portugal.
A campanha publicitária "Change the Like Button" da SuperBock recebeu o Prémio de Marketing em Redes Sociais. A campanha desafiava o Facebook a substituir o botão "Like" por três novos botões, "Good", "Great" e "Super" (numa discreta alusão à marca que patrocina uma causa próxima dos consumidores), conforme explica o post publicado no nosso blogue.

Entre outros, o prémio de melhor site B2C foi para a Vertbaudet, de melhor site C2C para o OLX e de Inovação em eCommerce para o BySide Shopping Cart App.


Só para quem "trata de tudo on-line"_Campanha EDP

Campanha Casa Total Click

A EDP está a dar descontos na electricidade (5%) e no gás natural (10%) aos clientes que aderirem online, à Casa Total Click. 

A adesão significa apenas que o cliente aceita passar a receber as suas facturas no e-mail e efectuar o pagamento através de débito directo. Ao aderir, o cliente tem direito a descontos (mencionados em cima) válidos até 30 de Junho do próximo ano. Existem duas modalidades da campanha : Casa Click para quem não tem gás natural e Casa Total Click para quem tem Gás Natural e Electricidade.

Este é um exemplo de como a internet pode ser um facilitador de processos (aumentando a sua eficiência) nas empresas e uma possibilidade de redução da pegada ambiental. Neste caso, acredito que o objectivo da EDP seja agilizar os processos internos (de envio das facturas pelo correio) e por outro lado, evitar o atraso no pagamento das mesmas (uma vez que através de débito directo, o cliente não tem praticamente "como fugir" ou adiar). Claro está, que ao enviar menos facturas em papel está a ser ambientalmente positiva.

De destacar que só podem aderir (e consequentemente usufruir dos descontos) os clientes que o fizerem online. A EDP está por um lado a chegar aos clientes que já usam a internet com frequência (apresentado-lhes uma nova funcionalidade com vantagens exclusivas) e por outro lado trazer os restantes clientes para a internet. O desconto funciona aqui como um chamariz, que fará os aderentes experimentarem as novas funcionalidades (factura electrónica e pagamento por débito directo), mostrando-lhes as vantagens (evitar a "papelada" e a deslocação para efectuar o pagamento), e consequentemente fazê-los ficarem fâs deste sistema.

Para a EDP, quanto mais clientes aderirem, menos cartas/facturas tem que enviar e com menos atrasos de pagamento tem que lidar. Obterá também uma redução de custos.

Podem ver a campanha mais em pormenor, no site oficial:

Em comunicado, a EDP informa que as campanhas estão apenas disponíveis para os clientes que optem por “tratar de tudo online”.  
In Marketeer Online, 14 de Maio de 2013  http://marketeer.pt/2013/05/14/edp-lanca-promocao-casa-total-click/

quarta-feira, 15 de maio de 2013

Nova campanha marca mudança de rumo da Coca-Cola (com vídeo)

Nova campanha marca mudança de rumo da Coca-Cola "E se nos levantarmos?", este é o mote da nova campanha que a Coca-Cola lança em Portugal. Mais do que uma simples campanha, esta ação representa um projeto que irá mudar o rumo da Coca-Cola, explicou Tiago Lima, gestor de comunicação da Coca-Cola Iberia, em conferência de imprensa.
http://www.briefing.pt/comunicacao/20906-nova-campanha-marca-mudanca-de-rumo-da-coca-cola.html
Está fantástico! :)

domingo, 12 de maio de 2013

As 4 tendências do marketing digital para 2013

Os infográficos parecem ser uma boa solução não só para facilitar a interpretação das informações mas também para as divulgar. A Dot Com Infoway, uma empresa de TI localizada na Índia, baseou-se em dados de analistas do sector e nas suas próprias informações para elaborar este infográfico sobre as ferramentas e tecnologias que terão maior impacto no comportamento dos consumidores.
Mobile Marketing, Social Media, Content Marketing e Author Rank são, então, as quatro tendências mais relevantes do Marketing Digital para este ano.


Mais do que elencar tendências, os elementos infografados permitem perceber que a proliferação de dispositivos, aplicações e plataformas está a mudar comportamentos e perceber essas mudanças dá aos marketers e às marcas a possibilidade de utilizarem a tecnologia certa para chegarem eficazmente junto dos consumidores.

Social Scoring

O social scoring pretende medir o impacto de cada pessoa no universo online. As ferramentas de social scoring pretendem aferir a influência de uma determinada pessoa na sua rede de contactos analisando centenas de variáveis tal como a dimensão da rede, comentários, número de likes, tweets, partilhas, visualizações dos seus conteúdos em blogues, etc.

O Klout é actualmente um dos programas mais avançados nesta missão de classificar a influência de cada pessoa no mundo online e em finais de 2012 considerava mais de 400 variáveis para atribuir um “índice de popularidade” a cada pessoa.

Aqui fica uma apresentação do Klout, numa versão mais humorística:

E aqui encontram uma curta entrevista à Forbes do CEO e co-founder da Klout com algumas explicações do serviço e das suas possíveis aplicações no universo das empresas.

sexta-feira, 10 de maio de 2013

Worten lança campanha "Código Secreto"



Numa acção blended que decorreu no mês de Abril, a Worten desafiou os consumidores a ganhar iPads. Para tal, bastava aos consumidores estarem atentos aos anúncios televisivos da campanha (meio off-line), identificar o código secreto dissimulado nos anúncios (componente lúdica) e utilizá-lo para entrar no desafio proposto na página do Facebook da marca (meio on-line).
Em simultâneo, a Worten promoveu ainda na página de Facebook o passatempo "Timeline do Futuro", no qual os utilizadores podiam prever os grandes acontecimentos e transformações do mundo e da tecnologia, através de informação dadas pela marca. O fã mais participativo, cuja timeline esteja mais completa, ou simplesmente aquele que atraia mais amigos, será o vencedor deste concurso. Tal como em acções anteriores (p.e. Worten Lab) a Worten convida os consumidores a serem os principais divulgadores da marca.

terça-feira, 7 de maio de 2013

YouTube lança versão portuguesa


O Google anunciou hoje o lançamento de uma versão portuguesa do YouTube, que dá destaque aos conteúdos nacionais e oferece uma melhor experiência ao utilizador.

O terceiro endereço de internet mais visitado em Portugal fica disponível também em YouTube.pt onde a pesquisa de vídeos de origem portuguesa será mais fácil.  

Para além disto, os criadores de conteúdos portugueses poderão rentabilizar os canais criados no YouTube, num modelo de partilha de receitas com o site (para além das receitas publicitárias, o YouTube avançará também para um modelo de assinatura de alguns canais).

Durante o lançamento do YouTube Portugal, que decorreu no Pavilhão de Portugal, em Lisboa, José Antonio Martínez-Aguilar, responsável pelas operações da Google em Portugal, destacou a importância desta nova plataforma para os anunciantes, criadores de conteúdos e parceiros, que poderão criar produtos dirigidos ao mercado nacional.

Portugal é o 56.º país a receber uma versão localizada do YouTube, em consequência da estratégia da empresa de oferecer produtos próximos do utilizador.

domingo, 5 de maio de 2013

Era uma vez... a origem das redes sociais



E para todos aqueles que se perguntam de onde surgiu a ideia para a criação de uma ou outra rede social, aqui está a resposta.
Parece que todas foram criadas para substituir algo que já existia fisicamente, afinal tudo tem correspondência na vida real.
Caso para dizer: nada se cria, tudo se transforma.
A verdade é que estas ferramentas estão a mudar as nossas vidas.

quarta-feira, 1 de maio de 2013

Don't Fight! Switch!

A Microsoft pode não ser a líder de mercado no que toca a smartphones, mas nem por isso deixa de gozar com os seus concorrentes mais diretos: a Apple e a Samsung.

Tudo se passa durante um casamento, no qual os convidados começam a lutar uns contra os outros por causa da guerra Apple vs. Samsung... enquanto isto,os empregados de mesa filmam tudo com o novo smartphone da Microsoft!


Uma publicidade comparativa no mínimo engraçada!