segunda-feira, 31 de março de 2014

"Lembras-te como foi?"

Como o tema de discussão nas últimas aulas tem sido sobre a geração net, a TVI vai exibir hoje no "Jornal das 8" uma reportagem acerca deste tema tão actual.
Crianças dos 7 aos 13 anos foram desafiadas a voltar no tempo e experimentar objectos do mundo analógico como um gira discos, máquina de escrever ou as cassetes. 
É curioso que só pelo video de apresentação deu para ver o quanto esta nova geração é tão mais evoluída que a anterior. Hoje facilmente encontramos miúdos de 4 anos a mexer num tablet ou telemóvel touch com uma facilidade tremenda e até a fazer pesquisas na internet! 
Nesta reportagem podemos ver uma menina que mexe numa cassete e diz-nos que é: "uma caixa com mini cd's"... Não deixa de ser curioso :)


Depois da aula de hoje, aconselho todos a verem esta reportagem que será certamente interessante.

Notícia em: http://www.tvi24.iol.pt/503/sociedade/reporter-tvi-lembras-te-como-foi-susana-pinto-tvi24/1548574-4071.html

quinta-feira, 27 de março de 2014

Experiência Dolby

As marcas estão a aproveitar, algumas, muito bem, a capacidade de personalização e a possibilidade de criar experiências para o utilizador com conteúdos online.

Para mim, de toda a publicidade online, há dois tipos que me agradam mais: aquela que me conta uma história e com isso me envolve, e a que me permite fazer parte da história (mas de preferência ambos).

Encontrei esta publicidade da Dolby Audio Technology que conta a pequena história dum homem e o seu cão pela planície enquanto aprecia a tempestade. Os raios vão caindo aqui e ali numa demonstração potente da tecnologia audio da Dolby. Depois de uma curtíssima metragem podemos continuar o filme tomando o poder de Zeus e lançar raios por toda a terra.
Explorem e vejam como a Dolby Takes You There.
(http://metius.com/hiromori/dolbyOcean.html)

quarta-feira, 26 de março de 2014

Coca-cola cria valor... a prestar serviço público :-)

Boa noite colegas,
Na última aula estivemos a falar sobre a ausência de “fidelidade às marcas” e os impactos que este fenómeno tem na condução das campanhas de marketing… Em resumo, a resposta passa por criar relação de proximidade com o consumidor, chamar a sua atenção e contrariar a recessão que teima em retrair e alterar os hábitos de consumo. Importa então imputar utilidade às marcas de forma a que o consumidor lhe atribua valor! Surge então a ideia de que “a utilidade tem valor emocional”. E como a Coca-Cola é um exemplo clássico, não podia deixar de partilhar este vídeo que, na minha opinião, é serviço público prestado pela Coca-Cola… Não acham horrível quando estão no cinema e conseguem ouvir tudo menos o filme?? Bem, mas ”menos interrupções, mais histórias”, por isso:



Muito valor para a Coca-Cola por esta iniciativa! E muito mais eficaz que o tradicional "desligue o telemóvel e mantenha o silencio"!

segunda-feira, 24 de março de 2014

Heineken faz tour com troféu da Champions League e surpreende fãs

Para celebrar o lançamento do tour do troféu da Champions League, a Heineken preparou uma surpresa para alguns viajantes fãs do futebol. Ao entrar no quarto do hotel, eles dão de cara com o troféu mais disputado do continente europeu! Vejam o resultado no vídeo:
http://marketingdeguerrilha.wordpress.com/2012/03/10/heineken-faz-tour-com-trofeu-da-champions-league-e-surpreende-fas/

domingo, 23 de março de 2014

Beyoncé estrela comercial da nova campanha da marca Toyota



A poucos dias da sua presença em Portugal, com The Mrs. Carter Show World Tour”, que é a terceira turnê mundial da cantora norte-americana.

É impossível não pensar na Beyoncé e na sua popularidade. Sendo um dos pontos fulcrais pela sua disputa entre inúmeras marcas, para a sua associação e presença nos suas publicidades, como uma grande vantagem competitiva.

Em todos os anúncios que participou a cantora, encorpara um ou mais dos seus novos temas musicais. São sempre considerados anúncios poderosos. A cantora é a escolha de marcas como a L’Oreal, Pepsi, H&M e vê-se agora associada a uma linha de carros da marca japonesa Toyota, para a sua última campanha intitulada “Get going”, com o intuito de atrair um público mais jovem para a marca.

Ao som de “XO”, canção do seu novo álbum, o anúncio mostra a artista  a narrar a sua carreira que é feita de escolhas enquanto são exibidas algumas cenas da sua vida, reconstrução de toda a sua trajetória , desde da altura em que estava na barriga da sua mãe, depois em criança e sonhava em ser cantora e até mesmo aparece compondo “Survivor”, temas para as Destiny’s Child, grupo ao qual a cantora pertenceu antes de se lançar a solo. Desta forma, o anúncio ilustra a história da sua ascensão como objetivo incentivar os jovens a perseguir os seus sonhos.

A frase que marca este anúncio é:
“Todos os dias eu acordo e faço uma escolha. Não deixo o mundo decidir por mim, eu decido por mim mesma. Eu decido seguir em frente”
Frase esta que sempre foi o lema de vida da cantora. E ao qual a marca Toyota se associa.
Deixo aqui o video:
video

Como falado nas aulas, tal como Cristiano Ronaldo, a cantora Beyoncé é um sucesso para as campanhas de marketing de grandes marcas, todas querem se associar ao seu sucesso. Esta última associação da cantora com a marca Toyota está a criar alguma confusão para alguns consumidores. Qual é a vossa opinião?

Vídeo Jovem indiano cria ténis que carregam telemóvel

Esta invenção deste Jovem prova bem da necessidade que esta nova geração net tem em estar sempre "on-line".



Pois sendo certo que atualmente se caminha cada vez mais para a utilização da internet em meios moveis e o problema associado a estes é exatamente a questão da autonomia  esta invenção é um primeiro passo para resolver isso. O facto de ter sido criado por um jovem demonstra ainda mais o medo desta geração de perder a ligação por simples minutos, isto é a demonstração da preocupação de resolver todas e quaisquer entraves a estar sempre On.

Neste novo Mundo é fundamental estar sempre ligado a rede!

Link para noticia

Pepsi assusta as pessoas!

A nova publicidade da Pepsi, para a linha Pepsi Max, designada por "Unbelievable" tem assustado as pessoas em Londres. Um sistema digital oculto numa paragem de autocarro exibe imagens assustadoras mas com elevado grau de realismo. Através de uma câmara instalada no local é possível registar as diversas reações das pessoas.

O responsável da área de marketing da Pepsi no Reino Unido, Rachel Holmes afirmou que a campanha "corresponde ao seu nome "Unbelievable", e tem tanto de inovadora como de criativa". 

Esta campanha tem como objetivo promover a Pepsi sem açúcar mostrando que mesmo assim o seu saber é inacreditável, como os acontecimentos mostrados.

Este vídeo já conta com mais de 1 milhão de visualizações!

sábado, 22 de março de 2014

"Qual a melhor estratégia para comunicar com a Geração Net?"

A propósito dos últimos e interessantes posts colocados no blogue e do tema em discussão nas últimas aulas - a geração net - venho propôr a todos uma sondagem sobre o tema "Qual a melhor estratégia para comunicar com a Geração Net?", disponível na barra lateral. Podem começar a votar! Bom fim de semana!

sexta-feira, 21 de março de 2014

"Atreve-te a ser mais doce"

A Milka usou 13 milhões de barras de chocolate para promover "Dare To Be Tender" campanha em França e Alemanha, o maior mercado da marca. 

A campanha removeu um quadrado de chocolate da barra tradicional Milka, cada uma tinha um código especial que podia ser inserido online e os consumidores podiam escolher entre duas opções: pedir o cubo de chocolate em falta para si, ou um destinatário que receberia o "último quadrado" no correio.

A campanha implicou toda uma mudança no processo produtivo, contudo foi muito positivo. Em seis semanas, a comunicação chegou a 54 milhões de pessoas, o equivalente a um investimento de 1,1 milhões de euros em media. Foi reconhecido com um prémio Ouro no concurso de publicidade Epica Awards. 



A marca tem vindo a reforçar a sua ligação às pessoas, através do relacionamento e a experiência com os seus consumidores. Uma experiência one-to-one que seja emocionalmente forte, divertida e envolvente pode ter um impacto significativo e positivo, como foi o caso. 

Para além disso, a Milka trabalha  muito bem  o conceito de Branded Content, faz associação a valores positivos, que tenham significado/utilidade para o consumidor e criem envolvimento. 





Uma coisa é certa, eu fã de chocolate, após escrever o post fiquei com muita vontade de comer um chocolate Milka e fiz gosto na página do Facebook.  

“Fica em forma com o teu Programa de corrida ASICS”



A necessidade por parte de uma marca em provar a utilidade que possui para o consumidor é cada vez mais uma “arma” de fidelização à mesma. Atualmente torna-se uma “emergência” por parte da marca provar ao consumidor a sua utilidade. É a partir desta perceção de utilidade que é mais fácil para a marca criar laços emocionais com o consumidor.
É na sequência do Brand Content que os cereais FITNESS juntam-se à ASICS e criam uma plataforma, que faz com que a marca alcance uma maior notoriedade, um maior envolvimento – engagement, vinculando assim ambas as marcas a um conceito relevante: “Atinja os seus objetivos de corrida com planos de treino mais inteligentes”.
A plataforma denominada de “MY ASICS” possibilita a qualquer consumidor fazer o seu plano de treino personalizado. O plano é grátis e está desenhado para vários níveis de treino para ser mais fácil ficar em forma e acima de tudo, aproximar-se do consumidor, assumindo que cada consumidor é diferente e merece uma abordagem única. MY ASICS delega a oportunidade perfeita de começar um novo estilo de vida mais saudável e adequado ao perfil, exigências e objetivos de cada utilizador.
Além de fazer com que o consumidor beneficie de um plano de corrida personalizado, a parceria entre a ASICS e os cereais FITNESS, faz com que a plataforma possua um espaço dedicado a uma planificação para uma alimentação equilibrada e com diversas receitas e opções adequadas a cada escolha por parte do utilizador.
Nesta plataforma ainda está presente o conceito Storytelling através da partilha de histórias de sucesso decorrentes da utilização do MY ASICS. É um espaço onde a marca convida o próprio consumidor a comunicar a sua história decorrente da utilização da plataforma e o consequente benefício desencadeado pela utilização da mesma. "78% dos atletas do MY ASICS atingem os seus objetivos de corrida”.
Esta plataforma, que pode ser encarada como uma ação de relações públicas, na medida em que a utilização da mesma não significa que o consumidor compre garantidamente o produto que dá nome ao espaço. Todavia, de forma a incentivar e intensificar a relação positiva criada com o público-alvo, presenteia o consumidor com um vale de desconto no valor de 10, para utilizar em compras de artigos de desporto ASICS, em qualquer loja Sport Zone, em Portugal.
Para finalizar a menção a esta estratégia, que considero uma excelente forma de delegar ao consumidor uma experiência memorável, útil e de relevante impacto no público-alvo, onde a ideia não é essencialmente vender mais acima de tudo comunicar a utilidade que possui, a mesma pode ainda ser comunicada na rede social Facebook e assim partilhar o progresso do utilizador com os seus amigos. “Motiva-te e partilha o teu progresso com os teus amigos”, estando a aplicação do MY ASICS disponível para acesso via Facebook, o que vem intensificar o Marketing Viral à marca e a sua plataforma.

Deixo o link para o site e outro para um vídeo que descrimina de forma dinâmica o conceito da plataforma MY ASICS.

E vocês que acham da plataforma? Denotam utilidade na mesma? Acham que aproxima o consumidor a marca? 

quarta-feira, 19 de março de 2014

Android Wear - Google Now for your Body

A Google anunciou hoje o lançamento do Android Wear - ou seja um projecto para disponibilizar o sistema Android em "wearables". Os wearables são dispositivos electrónicos susceptíveis de serem usados como acessórios ou prolongamentos do corpo - a última fronteira da proximidade e mobilidade tecnológicas, depois de termos passado dos desktops, para os laptops, para os tablets e os smartphones. É verdade que estes últimos já andam quase sempre connosco, mas vestir ("wear") os dispositivos leva o conceito mais longe, e pode passar por relógios, sensores, óculos (os Google Glasses, lembram-se?), sempre ligados à rede.


A Google divulgou um vídeo mostrando as funcionalidades do novo wearable, para já disponível em formato relógio. Desde notificações automáticas com base na localização ou em actividade passada; resposta a perguntas colocadas pelo utilizador sobre, por exemplo, o resultado de um jogo de futebol ou o tempo que demora a chegar ao emprego; ligações a outros aparelhos e plataformas, permitindo acesso a playlists e redes sociais; e claro, um personal trainer digital que nos diz quando já estamos inactivos há muito tempo ou como podemos melhor os nossos treinos, e comparar com os dos amigos.

A presença da Internet nas nossas vidas vai tornar-se definitivamente ubíqua, anytime, anywhere? O que acham desta evolução? E quais os desafios / oportunidades para as marcas?

terça-feira, 18 de março de 2014

Robot Jornalista

O jornalista e programador Ken Schwencke criou um algoritmo capaz de escrever um pequeno artigo logo após a ocorrência de um sismo. Este novo sistema veio comprovar que cada vez mais as tecnologias são capazes de produzir conteúdos relevantes sem a interferência humana. No entanto, Ken afirma que este sistema não tem como intuito substituir o trabalho dos jornalistas.

Este robot apresenta alguns dados como a magnitude do sismo, o dia, o período da ocorrência, entre outros. Através deste sistema é possível melhorar o tempo de divulgação da informação uma vez que esta é publicada imediatamente no LA Times online: http://www.latimes.com/local/earthquakes/#axzz2wJCNCUlo.

segunda-feira, 17 de março de 2014

Social Street, ou como o Facebook pode aproximar vizinhos

Bem antes de mais, espero desta vez não estar a repetir uma publicação antiga de ninguém, e a Inês as minhas desculpas pelo lapso da anterior.

Desta feita trago mais uma noticia do Jornal Publico.


Dando resposta a uma "necessidade básica do ser Humano a de se aproximar das pessoas”,  Carla Isidoro trouxe para Portugal um projecto de Federico Bastiani, que pretende criar “comunidades de vizinhança como antigamente”, a ideia é que as pessoas da mesma rua/zona se conheçam através do Facebook mas depois passem do virtual para o real.

Esta passagem é que me pareceu bastante oportuna, pois estamos cada vez mais habituados a passar do Real para o Virtual, mas será possível que estejamos a passar do virtual para o real novamente?
 

sábado, 15 de março de 2014

"Faz aquela tua dança senão o senhor carrega no «Ignorar Anúncio»"

Quantos de vocês espera pelo botão "Ignorar Anúncio", no canto inferior direito, dos vídeos? Foi a pensar nisso que trouxe este tema e um video que transmite esse sentimento.

A publicidade no Youtube (e em qualquer portal onde exista visualização/partilha de vídeos) está cada vez mais em voga.
As pessoas preferem os conteúdos em video aos conteúdos em texto e os publicitários perceberam isso. Então, apostaram na publicidade em vídeos e aumentaram a probabilidade dessa ser vista.


Pela primeira vez, não carreguei no "Ignorar Anúncio" e vi a publicidade até ao fim. Porquê? Porque os próprios "atores" compreendiam a minha intenção de "Ignorar Anúncio" mas esforçaram-se para que eu não o fizesse - fazendo a "dança". (e também porque o video era curto)  


P.S. Este teaser serviu de mote a uma campanha de crowdsourcing, onde a Optimus incentivava os seus clientes (e potenciais clientes) a criarem a sua história com Os Paus Mandados.

Publicidade em vídeo no Facebook

Alguns concerteza gostarão outros nem por isso, mas brevemente o Facebook terá publicidade em vídeo nos murais, tal como anunciado no blog da rede social. 


Os vídeos serão de 15 segundos e o utilizador poderá escolher se pretende ou não visualizá-los. Segundo o Facebook, os vídeos aparecerão na parte de cima do mural e se o utilizador passar o rato sobre o anúncio, o vídeo irá ocupar todo o ecrã. Por defeito, os anúncios não terão som, podendo o utilizador ativar o mesmo caso se interesse pelo que está a visualizar.

Para já só algumas empresas e utilizadores é que terão acesso à divulgação e visualização destes vídeos.
Os vídeos serão semelhantes aos que são exibidos em televisão e serão medidos da mesma forma em termos de audiências.

O Facebook, com a introdução deste tipo de publicidade, pretende aumentar as suas receitas mas de uma forma controlada. Apenas serão colocados vídeos que possam atrair os utilizadores, que sejam capazes de captar a sua atenção.

sexta-feira, 14 de março de 2014

A Gestão de Clientes na Era Digital


Realizou-se ontem dia 13 de Março o Seminário "A Gestão de Clientes na Era Digital" tendo como orador convidado o Dr. Bruno Padinha, Executive Director da Ernst & Young.


Estas iniciativas só se tornam possíveis graças à vossa colaboração! 
Obrigada por participarem!
E continuem a fazer deste blogue uma animação!

quinta-feira, 13 de março de 2014

Pepsi, Ronaldo e as redes sociais

Já sabemos que é importante ter em conta a mensagem que uma marca transmite e, sobretudo, a maneira como a transmite. Com este post trago apenas mais um exemplo de "falhanços" ou "tiros ao lado" de marcas que têm presença em vários mercados diferentes ao mesmo tempo.

Mais recentemente, a Seleção Nacional de Futebol, na pessoa do nosso célebre Cristiano Ronaldo, foi "atacada" pela equipa de Marketing da Pepsi sueca na senda dos Playoffs de acesso ao Campeonato do Mundo de Futebol. Se de um lado foi, provavelmente, considerada uma brincadeira pelos suecos, por outro foi uma mensagem negativa para os portugueses. Esta mensagem causou uma onda de reação incrível que provavelmente a Coca-Cola em Portugal agradeceu - "Nunca mais bebo Pepsi".

Ao mesmo tempo, as redes sociais tiveram um papel de tal forma preponderante, que a questão passou a ser vista como uma movimentação não da Pepsi contra a Seleção Portuguesa ou Cristiano Ronaldo, mas também para apimentar a guerra CR7 vs Messi. Messi (entre outros jogadores) tem um contrato com a Pepsi para uma campanha publicitária que envolve o Campeonato do Mundo.


Terá sido uma mera coincidência / acidente / ato mal medido? Ou terá sido realmente uma forma de a Pepsi mostrar à Coca-Cola que também lhe faz frente no futebol utilizando duas personalidades altamente controversas?

(Lionel Messi e Cristiano Ronaldo têm sido nemesis em várias marcas. Um é patrocinado pela Nike e joga por uma equipa patrocinada pela Adidas, outro o inverso. Para dar um exemplo.)

Continente eleito Marca Confiança 2014, pelo 12º ano consecutivo

O hipermercado Continente voltou a ser o vencedor da Marca Confiança pelos consumidores portugueses, pelo 12º ano consecutivo. O anúncio desenvolvido pela marca para festejar este prémio, tornou-se viral. 

No anúncio observamos uma mãe que vê o seu carro avariado, e opta por apanhar uma táxi, mas acaba por ficar preso no trânsito, e resolve sair e pedir boleia a um motociclista, mas este também não consegue fugir ao trânsito instalado na cidade. A solução que encontra é ir de bicicleta e no final correr à chuva, tudo isto para tentar chegar à escola do seu filho que se encontrava a sua espera, e pede desculpa pelo seu atraso, e lhe pergunta se estava preocupado mas este responde de forma emotiva "Eu sabia que tu vinhas".  A frase que comove o espectador, e ilustra a confiança existente entre a relação de uma mãe e o seu filho. 

Os comentários nas redes sociais tem sido abundantes, muitos dizem que o vídeo foi bem conseguido, mas existe alguma controvérsia para alguns. Esta associação tem sido alvo de críticas como: “é um grande abuso comparar a relação entre uma mãe e o seu filho com uma relação comercial entre um distribuidor e os seus clientes.” e “gosto do filme, acho ridícula a associação a uma cadeia de hipermercados". 

Na minha opinião, aplaudo os publicitários, considero que a equiparação entre a confiança mãe-filho e a confiança Continente-Clientes, foi uma ideia arriscada mas que na verdade atraí o espectador a todo o enredo do anúncio, e promove a confiança que era o esperado. E não existe maior confiança do que mãe-filho, e neste caso o continente já ganha este reconhecimento há 12 anos consecutivos. E todo o Buzz criado à volta do anúncio ilustra o quanto ele teve impacto nos consumidores.

Deixo aqui o vídeo:



E na vossa opinião, o que acharam deste anúncio? Acham excessiva a equiparação feita?

Parabéns à Word Wide Web pelos 25 anos de existência

Conseguem imaginar o mundo sem internet?

No dia 12 de março de 1989 a World Wide Web começou a mudar o mundo. Atualmente é um dos grandes motores da economia moderna e talvez seja a maior marca da evolução tecnológica da humanidade. Caso a internet não existisse empresas como a Google ou o Facebook também não teriam razão de existir. O mesmo se pode dizer do web marketing e do comércio electrónico.

quarta-feira, 12 de março de 2014

Shipment Revolution?

Os menos otimistas chamar-lhe-hão "miragem". Eu chamo-lhe evolução tecnológica e acredito que esta tecnologia vai revolucionar a forma como compramos online! Os drones são uma realidade bem presente e a Amazon parece estar na crista da onda.

Apesar de todas as condicionantes que esta tecnologia aparenta ter, acredito que à medida que o tempo for passando poderá tornar-se viável e utilizada de forma massiva. Qualquer emergência, necessidade de última hora poderá ser satisfeita numa questão de minutos!
Qual a vossa opinião sobre o futuro dos "drones"?

Estratégias para lidar com a presença digital

Como já se tem vindo a abordar durante as aulas de Web Marketing e Comércio Eletrónico, uma mais valia para as organizações é aliar o offline ao online. Para conseguir isso, foram lançadas oito estratégias para a presença digital:
  • Posicionamento
  • Atração do Público Alvo
  • Conteúdo Relevante
  • Frequência
  • Interação com Seguidores
  • Chamar Público para Ação
  • Respostas Rápidas
  • Mensuração de Resultados
Como importa para a unidade curricular o engagement na Era Digital, tive de mostrar o conteúdo do artigo que li e devo realçar ainda que estar presente no mundo virtual não é apenas saber os conceitos associados à evolução das tecnologias e criar uma página de Facebook ou Twitter. Deve-se ter em conta bem a estratégia, missão, objetivos e políticas da organização em causa e adequá-las ao pretendido.

Para ver o texto integral, cliquem aqui.   

Nova era para o marketing das ONG?

O UNICEF Tap Project tem, desde 2007, ajudado crianças do mundo inteiro a ter acesso a água potável. Agora a UNICEF traz o desafio a cada um de nós - aos comuns mortais que não passam sem telemóvel. 

A gigante humanitária pega agora no poder das redes sociais e dos media digitais para que o projecto corra o mundo e qualquer pessoa com um smartphone e alguma (boa)vontade possa contribuir. O desafio é passar dez minutos sem tocar no telemóvel e assim, a cada dez minutos passados, será dado um dia de água potável a uma criança necessitada.

Qualquer pessoa, em qualquer lugar do mundo pode participar (desde que tenha um iPhone). O recorde atual é de 189 horas e quem quiser ultrapassá-lo, ou apenas participar, só tem que ir ao site do tap unicef project e seguir as instruções. Para além disso pode-se seguir o projecto no facebook e através da conta twitter, dedicados à ocasião.
 
Parece que as ONG se estão a aliar ao webmarketing e ao potencial imensurável deste novo mundo. Quais serão os novos desafios para estas instituições? Será esta também uma nova oportunidade para as marcas explorarem o seu lado de responsabilidade social? 

Fica o exemplo da Giorgio Armani que para além da campanha acima referida, está ainda a doar $5 cada perfume Acqua di Giò e Acqua di Gioia comprados nos EUA para apoiar a campanha da UNICEF water and sanitation.

terça-feira, 11 de março de 2014

Nas redes sociais, a influência de cada um vai muito além do que se pensava

Boa tarde,
Hoje em vez de um vídeo, deixo ficar um artigo que saiu no Jornal Publico a respeito de até onde vai a influencia de um "post" numa rede social, como Facebook ou Twitter.

Nas redes sociais a influencia de cada um vai muito alem do que se pensava

Li este artigo e efetivamente fiquei a pensar, da dimensão que pode atingir um simples post de cada um de nós no Facebook, a quantidade de amigos e ou conhecidos, e conhecidos de amigos que podemos por a pensar de determinada forma.

"bater de asas de uma borboleta em Nova Iorque pode desencadear uma tempestade em Tóquio, as opiniões que estamos constantemente a proclamar perante os nossos amigos nas redes sociais online podem repercutir-se, sem nunca o virmos a saber, nos comportamentos e opiniões de muitas pessoas que não conhecemos nem nunca viremos a conhecer"

Mais do que isso imaginemos o mesmo associado ao Marketing nas redes sociais, efetivamente até onde podemos chegar com uma simples campanha no Facebook?

Esta temática é cada vez mais importante, para sabermos como dirigir as campanhas das nossas empresas, para onde? E em que direção devemos investir os nossos recursos?

É fundamental estar a tento a este tipo de estudos na minha opinião para sabermos posicionar-nos no sitio certo e na hora certa.


Pizza Hut ou Pizza Fun?

A Pizza Hut, em parceria com a Chaotic Moon Studios, criou uma mesa interativa, com uma superfície touchscreen, permitindo aos clientes customizarem o seu pedido no restaurante.
O cliente pode escolher o tamanho e ingredientes da pizza e selecionar o modo de pagamento. Para além disso, a mesa interativa disponibiliza jogos para o cliente passar o tempo enquanto aguarda pela pizza.


Este conceito, desenvolvido pela Pizza Hut e ainda em fase de testes, procura captar consumidores orientados para as tecnologias digitais e mobile e melhorar a experiência do cliente no restaurante, tornando o serviço lúdico, personalizado e inovador, atribuindo mais poder ao cliente e reduzindo a interação com o pessoal de contacto.
 
"Pizza Hut and its two largest rivals, Domino’s Pizza and Papa John’s Pizza, repeatedly have pointed to their leadership in digital technology as a major driver of sales success and market share growth over the past few years. However, Pizza Hut spokesman Doug Terfehr said the development of the interactive table is not an immediate market share play, but rather an attempt to make the user experience more enjoyable."
 
Será que os restaurantes vão deixar de ser espaços para se desfrutar de experiências gastronómicas para se tornarem espaços de experiências digitais? Será este conceito realmente do agrado de todos os consumidores?
 

Notícia em:
http://nrn.com/technology/pizza-hut-tests-interactive-table-ordering-payment
http://www.brandchannel.com/home/post/2014/03/06/140306-Pizza-Hut-Interactive-Table.aspx

segunda-feira, 10 de março de 2014

Campanha de fármaco anti-diarreia prende pessoas na casa-de-banho

Apesar das limitações associadas à promoção de determinados fármacos, dada a delicadeza do assunto, a empresa italiana Publicis aceitou o desafio e criou um vídeo promocional do fármaco anti-diarreia da Yovis Viaggio.

A criatividade levou a Publicis a "prender" pessoas na casa-de-banho, por analogia ao que acontece na realidade quando estão com esse problema, já que não era possível demonstrarem a eficácia do fármaco.
Era importante que o timming fosse perfeito para que a mensagem causasse impacto nas pessoas mas não lhes causasse pânico. Penso que esta campanha de marketing de guerrilha foi bem sucedida pois o vídeo é engraçado, chama a atenção e passa a mensagem.


domingo, 9 de março de 2014

A Coca-Cola quer mostrar que há vida para além dos telemóveis

Para que servirá um funil vermelho colocado na cabeça das pessoas? Uma pista: “Social Media Guard”. É nada mais nada menos do que a nova ideia da gigante Coca-Cola, no âmbito da sua conquista de mercado.

Não deixando de salientar que o mundo da Internet e das redes sociais é importante, estabelecendo a nossa conexão com “o mundo e as pessoas que amamos”, a marca pretende mostrar que, provavelmente, muitas vezes deixamo-nos envolver em demasia com os smartphones, esquecendo o que está à nossa volta.

Verifica-se, cada vez mais, que as pessoas querem partilhar as vivências, os momentos especiais, aquele jogo de futebol que as faz vibrar ou o jantar de amigos envolto de conversas e muitos risos, com o mundo. Para tal, transformam-nos em fotografias, textos ou vídeos, e colocam de forma imediata nos meios online. Já o “mundo offline”, como lhe chama a revista TIME, é descrito como “aquilo que acontece quando ficamos sem bateria”. Uma forma arrasadora de dizer que talvez não estejamos a prestar a devida atenção a cada minuto do nosso dia-a-dia que é, por acaso, a nossa vida. E o tempo é escasso, como bem se sabe.

Portanto, a Coca-Cola sugere: Porque não pousar o telemóvel e beber uma Coca-Cola junto de quem mais gostamos? (A não ser que queiram ter um funil na cabeça).

Esta publicidade vem contrariar um pouco o estilo da marca ao longo dos tempos, que sempre quis criar sorrisos e “aquecer” o coração dos consumidores. Desta feita, pretende fazê-los aperceber de uma realidade óbvia: a dependência, em maior ou menos grau, das redes sociais.

Terá sido esta uma boa aposta por parte da Coca-Cola?

O vídeo da publicidade pode ser acedido aqui:




sexta-feira, 7 de março de 2014

«Vou para África. Espero não ser contaminada pelo VIH. Estou a brincar. Sou branca!»

Ao ler a publicação da Inês Baptista sobre a regra dos três graus de influência e as redes sociais, veio-me imediatamente à memória uma história que para mim tem tanto de fascinante como de assustadora. Um mero tweet de Justine Sacco antes de entrar a bordo de um voo de longa duração – pormenor crucial: sem wifi – criou um reboliço incontrolável em toda a web social, chegando até às televisões. Resultado: quando aterrou Justine Sacco era alvo das mais diversas chacotas, acusações e pior, estava despedida.


A história conta-se assim, Justine Sacco ex-directora de comunicação da InterActive Corp. ia partir em viagem para África e quis ser engraçada, tweetando a frase que dá título a este post, mesmo antes de embarcar. Enquanto voava, gerou-se um burburinho nas extremamente censoras redes sociais, que são capazes de ser diametralmente opostas quanto ao zelo, por vezes toleram tudo outras vezes não toleram nada. O perigo é que ninguém em concreto, nenhuma autoridade define esse zelo, essa fronteira. São os próprios utilizadores, no fundo somos nós, que damos ou retiramos amplitude às coisas. É assim a web social. No caso de Justine a coisa correu mal e o seu tweet foi amplamente divulgado (retweetado) e deu início a uma saga que tem tanto de divertida como de assustadora. Desde figuras públicas a criticarem, organizações de apoio aos doentes com SIDA a reprovarem, uma companhia aérea que dispõe de wifi nos seus voos a fazer piadas, o endereço www.justinesacco.com registado, inúmeras contas falsas no twitter com o seu nome, a empresa para o qual trabalhava a demiti-la, até ser notícia na CBS, ABC, CNN, etc. etc. Tudo isto a acontecer em poucas horas, com Sacco literalmente no ar e sem fazer a mínima ideia que estava a ser a top story do dia. Uma história que demonstra bem o efeito bola de neve incontrolável e todo o poder das redes sociais. O mais estranho ou insólito disto é que a própria trabalhava no ramo, sendo directora de comunicação de uma empresa detentora de vários sites de web social. Aconselho-vos a lerem o artigo que o site buzzfeed fez sobre o tema...


Aqui fica o artigo do site buzzfeed: "
This Is How A Woman’s Offensive Tweet Became the Word’s Top Story”


Na imprensa portuguesa:


quinta-feira, 6 de março de 2014

A publicidade realista da Apotek

Para apresentar a nova linha de produtos para cabelo, a marca sueca Apotek decidiu comunicar de forma original. Criou um mupi interativo no metro de Estocolmo, onde a interação não era com quem passava, mas sim com as próprias carruagens. Sensores de movimento, estrategicamente colocados nos mupis, detetavam a proximidade do metro, e acionavam, assim, uma animação que pretendia transmitir o conceito: “Dê vida aos seus cabelos.

quarta-feira, 5 de março de 2014

A regra dos 3 graus de influência e as redes sociais

Vi esta notícia escrita hoje sobre a influência do passa-a-palavra nas redes sociais e achei pertinente para as discussões da nossa unidade curricular.

A ideia principal é de que as nossas opiniões e comentários passam na maioria de nós para amigos e de amigos para amigos - regra dos três graus de influência. Este artigo elaborado por cientistas cativou-me devido à professora Teresa Fernandes já ter abordado o efeito bola-de-neve nas aulas de Web Marketing e Comércio Eletrónico. A realidade é que estamos num círculo aberto ao público em que todos são amigos de amigos e esses amigos já considerados afastados também têm conhecidos que acabam por ter uma ligação com o nosso perfil. Desta forma, o marketing viral tem o «dom da ubiquidade», ou seja, é omnipresente.

Cito ainda alguns exemplos dados pelos cientistas que realizaram este estudo e espero que os comentem porque realmente são um ótimo tema de conversa:
  • »NSA poderá aumentar a eficácia dos seus algoritmos de vigilância dos cidadãos»;
  • «(...) talvez nos possam fornecer informações importantes que nos levem mais rapidamente à origem da epidemia»;
  • «E na área do marketing ou nas campanhas políticas, poderá ser possível desenhar processos mais eficazes para influenciar o maior número de pessoas possível».

MARKETING DE CONTEÚDO

Recebi este artigo no e-mail e, além de se enquadrar nestes últimos dias, achei bastante curioso e, de facto, compreender termos que "valorizo": conteúdo; redes sociais; ciência. Pode acabar por ser "mais do mesmo", por se colocar na estratégia que é e deve ser o marketing, mas mesmo assim aqui fica.
As máscaras do marketing de conteúdo!



E são 7 os tipos de máscaras: Sherlock Holmes, Narciso, Capote, o Padrinho, Forrest Gump, e Hobbit, sendo que a cada uma é atribuída uma definição (que poderão consultar mais à frente no link que deixarei).

Segundo a mesma fonte, este tipo de marketing "existe há muito tempo, mas só com o advento das redes sociais é que ele ascendeu à categoria de ciência. E porquê? Porque a atratividade nas redes sociais está diretamente ligada à relevância dos conteúdos partilhados, ou seja, a sua marca (pessoal ou institucional) é tanto mais atrativa quanto mais relevante for o conteúdo que partilha".

A mesma ainda afirma que "atualmente um bom conteúdo é o melhor vendedor do mundo e podemos mesmo dizer que nunca como hoje foi tão importante saber produzir conteúdos de qualidade", pelo que concordo totalmente (sendo esse mais um motivo para o facto de aqui partilhar a presente informação. Mas, certamente, as opiniões não têm necessariamente que convergir.

E vocês, concordam com esta última afirmação, além do restante expresso?

Podem ver a notícia na íntegra, AQUI!

terça-feira, 4 de março de 2014

Oscars 2014: Social Media Winners are...brands!

As marcas foram grandes vencedoras na noite dos Óscares 2014.
A selfie de Ellen DeGeneres, tirada com um smartphone Samsung Galaxy Note, entrou para a história por ser a mensagem mais retweetada de sempre.

                                            https://twitter.com/TheEllenShow/statuses/440322224407314432

A fotografia tem gerado alguma polémica pois poderá ter sido mais planeada do que espontânea. Embora a Samsung negue que a selfie fizesse parte de um plano de marketing, tinha sido acordado que o smartphone Galaxy deveria ser integrado, de alguma forma, na cerimónia da entrega dos Óscares. De referir que a Samsung é pelo quinto ano consecutivo uma das principais patrocinadoras do evento.

"It was a great plug for the Samsung brand," said Allen Adamson, managing director at Landor Associates, a branding firm owned by WPP PLC.
"Ellen's selfie is going to be more impactful than their commercials. You can't buy that magic of going viral," he added.
Having products appear in a program—product placement—has been a part of the TV business since the early days of the medium.
But it has become a more popular marketing technique in recent years as ad-skipping via digital video recorders has prompted marketers to look for ways to break free of the confines of the commercial break." (cf. Notícia 1)
Extra - Behind the Preplanned Oscar Selfie: Samsung's Ad Strategy (reportagem de 2:42)

Mas a Samsung não foi a única marca vencedora dos Óscares 2014.  
Ellen DeGeneres encomendou pizza da Big Mama's and Papa's Pizzeria (de Los Angeles) para alguns convidados da audiência. Curiosamente, as caixas das pizzas tinha o logótipo da Coca-Cola, numa noite em que a rival Pepsi era uma das marcas anunciantes com exclusividade na noite dos Óscares.

 
                                                    https://twitter.com/TheEllenShow/status/440629608715542528/photo/1

Ora, é cada vez mais nas redes sociais que as pessoas afirmam um certo estilo de vida, trocam experiências e sociabilizam-se. Por isso, é crucial para as empresas potenciarem a sua presença nas redes sociais e desenvolverem nos consumidores um sentimento de afetividade e de pertença com as suas marcas.

Notícia 1: http://online.wsj.com/news/articles/SB10001424052702304585004579417533278962674
Notícia 2: http://adage.com/article/media/coca-cola-steals-pepsi-thunder-oscars-pizza-stunt/291951/